Buscar

O que é uma Linguagem de Programação?

Quando você aprende uma nova língua como o inglês ou espanhol, seu objetivo é

conseguir pelo menos se comunicar de forma básica com pessoas que são de outros locais e que possuem culturas, tradições e idiomas diferentes do seu. De forma semelhando, podemos entender a linguagem de programação como o idioma no qual o programador se utiliza para poder se comunicar e ditar instruções para o computador. Ela é, em suma, uma coleção de normas que deve ser estritamente seguida para o funcionamento correto de um software ou hardware.

Vale salientar que, não existe apenas uma linguagem de programação, assim como existem idiomas diferentes, existem também linguagens de programação diferentes entre si, cada uma delas possuindo funcionalidades diferentes e sendo usadas (ou não) para objetivos mais específicos.

Como um relógio digital sabe se quando o usuário apertar um botão, ele deve entrar em modo de edição de hora? Como um programa consegue executar tarefas super complexas e de maneira rápida? Como um navegador sabe se quando eu digitar o endereço de um site na URL e apertar enter, ele deve me direcionar e receber informações do site? Tudo isso só é possível graças a tecnologia que hoje temos, no qual as linguagens de programação estão inseridas nela.

Java, Javascript, python, C, C++, são exemplos de linguagens que são muito utilizadas atualmente no mercado de trabalho, mas, qual escolher para começar a aprender ou se aprofundar? Tudo depende de qual o seu foco e objetivo, se esse foco for por exemplo a programação de sistemas embarcados, logo, linguagens de baixo nível como C se tornará a mais viável. Se o foco for desenvolvimento de jogos, linguagens mais alto nível se tornam mais viáveis, como por exemplo Java. Mas, afinal, que são linguagens de baixo e alto nível?

Uma linguagem de alto nível, é aquela em que “se distancia do hardware”, ela possui uma sintaxe (conjuntos de regras da escrita) voltada para o melhor entendimento do humano, sem o programador ter que se preocupar com por exemplo, alocação (mobilidade) de memória do computador, tratamento de strings (um conjunto de caracteres, uma frase) e etc. Em contrapartida, uma linguagem de baixo nível é justamente o contrário, ela está “mais próxima do hardware”, onde o programador tem mais liberdade em utilizar todas as ferramentas que o hardware pode oferecer, principalmente o manuseio de endereços de memória (endereços de locais onde estão informações). Possui assim, uma sintaxe mais complicada e voltada ao “entendimento da máquina”.

Pode parecer que aprender uma linguagem dessas é muito complicado, mas não há nada nesse mundo que se é impossível, tudo com esforço e dedicação se torna concreto. Há muito material didático gratuito na internet em que se pode começar a aprender a programar de forma básica até as mais avançadas, que podem ser encontradas em fóruns, livros, youtube e sites.


Texto escrito por Carlos Gabriel

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Produtos e Serviços personalizados

O objetivo desse artigo é possibilitar um maior entendimento dos produtos da Dipolum Consultoria e permitir que o leitor entenda o que são, e o que, nós, enquanto empresa, queremos dizer, quando nos r

Quem pode investir em tecnologia?

A sociedade utiliza e beneficia-se da tecnologia, produto da ciência e engenharia, de maneira intrínseca para resolver problemas do mundo real. Com o crescimento exponencial da tecnologia e a vontade

Inove em acessibilidade com automação

A Acessibilidade tem como finalidade tornar a vida das pessoas com deficiência e em condições especiais mais prática e confortável, de modo que elas usufruam dos espaços e das relações sociais com seg